sexta-feira, 17 de abril de 2020

Fazer perguntas e lidar com as verdades!

Olá, me apresento na forma de avatar, criei vários eus na forma de desenho, espero que gostem! Sento nesse piso de madeira com o mar e um morro atrás para falar sobre o tema do título do post.

Vocês já se perguntaram por que é importante fazer perguntas? Minha pergunta parece redundante, mas tudo bem, vamos lá.

Eu me faço perguntas o tempo todo e muitas vezes mentalmente, silenciosamente e o meu eu lá dentro de mim costuma responder e me ajudar nos meus próprios questionamentos. Dizem que isso se chama autoconhecimento, ok, simbora!

Ano passado em Outubro, eu comecei a me perguntar por que eu como carne? por que eu gosto de carne? Eu cresci a minha vida toda (38 anos) comendo carne como um hábito e acreditando que é saudável e que faz bem para minha saúde. Mas aí comecei a me perguntar, será que me faz bem mesmo? Aí comecei a pesquisar, assistir documentários, ver os pontos de vistas distintos desde cientistas até espiritualistas. Me lembrei também que no Japão eu praticamente não comi carne e fiquei super bem.

Aí cheguei a uma conclusão pra mim mesma vindo do meu eu interior: Ok Iara, você já comeu carne o suficiente, que tal tentar reduzir e até retirar o consumo de carne vermelha? Aí eu pensei, ok, carne vermelha vou te superar e ver outras alternativas proteicas. Dessa reflexão até hoje, foram 6 meses sem carne bovina! Me sinto verdadeiramente muito melhor com essa mudança.

Mudando o Percurso : O Que é a Matrix?Essa semana assisti Matrix, a primeira versão, um filme sensacional. No filme há duas dimensões sendo essa que vivemos que achamos que é o real, mas na verdade é ilusório e o mundo real onde as pessoas comem uma pasta nutritiva. Tem uma passagem que mostra um personagem que conhece as duas dimensões e quando está num restaurante ele fala comendo uma carne: "como é bom viver na ignorância" e aí ele bota a carne na boca. Sensacional essa passagem!

Pensando no filme eu poderia ir para dimensão do Keanu Reeves comer a pastinha nutritiva ao lado dele...hehehe

Essa reflexão toda veio de uma frase incrível do Carl Sagan que eu li recentemente:
Carl Sagan: Cosmos


"Podemos julgar nosso progresso pela coragem dos nossas perguntas e pela profundidade
de nossas respostas, nossa vontade de abraçar o que é verdadeiro ao invés daquilo
que nos faz sentir bem." Carl Sagan

Claro que eu usei um exemplo bem simples do meu cotidiano e o Carl Sagan foi um cientista fenomenal
que se questionava bastante e questionava muito o seu mundo ao redor. Eu vejo muita beleza no
termo "coragem das nossas perguntas" por que imaginem quantas pessoas não tem coragem
de fazer perguntas? Vai saber como lidar com as respostas?

Simplesmente há muitas pessoas que aceitam tudo do mundo e a vida como ela é e sempre foi. Algum
problema nisso? Eu penso que o outro não precisa fazer como eu e da mesma forma
eu não tenho que fazer como o outro. As pessoas não precisam pensar sempre de uma mesma
maneira, gostar dos mesmos cantores, ler os mesmos livros, assistir ao que a grande maioria gosta,
estudar sobre o mesmo assunto...desde que seja verdadeiro para você mesmo.

Se fosse permitido viver dois tipos de vida, uma que é verdadeira e outra que é de mentira, qual vocês
escolheriam? Apesar das pessoas gostarem da verdade, eu tenho uma grande impressão que no fundo,
bem no fundo as pessoas gostam de uma vida de mentiras. Há pessoas, há empresas, há países que
cultuam a mentira como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Trabalhando muito anos com crianças eu sempre aprendi com a verdade delas, o quanto é
importantíssimo e fundamental a verdade, por mais dolorida que ela seja. Também cresci num ambiente
de muita verdade e o choque vem quando nos deparamos com um mundo de muitas mentiras e pessoas
que valorizam e não se incomodam nem um pouco com a mentira.

Eu sempre entrei em choque com aquilo que não é verdadeiro a minha vida inteira!



Tudo isso para dizer que tenho pensado muito nessa quarentena e me feito as seguintes perguntas:
"Que mundo eu quero viver pós pandemia?"
"Quais amizades que serão verdadeiras e importantes na minha vida?"
"Que estilo quero verdadeiramente traçar para minha vida?"
"Que práticas preciso fazer para me sentir mais verdadeira comigo mesma?"
"O que preciso fazer para ser melhor para as pessoas ao meu redor?"

Uma coisa já comecei a fazer, algumas amizades tive que tirar, infelizmente, do meu campo visual das
redes sociais. É super dolorido, mas não tem jeito, a verdade é dolorida e é preciso aceitar que há
pessoas muito maldosas e ruins na essência que não enxergam o mal que fazem e a ignorância
em que vivem, é a vida!
A dimensão da ignorância é opcional e definitivamente nunca será a minha! Vou sempre abraçar o que
verdadeiro!

Obrigada Carl Sagan, Matrix, alunos, amigos verdadeiros, amigos falsos e à quarenta que me colocou
em reflexão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário